PORTA SOBRE ROMANCES COLEGAS follow

この目が光を失っても, ぼくは描いてみせる
Um clube de artes para o proveito de todos, onde muitas histórias planejam-se serem contadas. Fique à vontade, você não precisa ser bom com desenhos para se juntar a nós. { }

< october novel projects >
● { crônicas do céu series • soul eater 3/5 }
● { rotten to the core • soul eater }
● { strength • soul eater }
● { keep together • blood lad }
● { game over • blood lad }
● { broken • deadman wonderland }
Outros rascunhos se encontram em Qiklist!

< UNLUKIES BOX >
{ drabble } Not alone.Conhecendo a fundadora do clube!{ specialday } Love song.{ oneshot } As in the first time.{ oneshot } We got married!Bem vindo ao clube!!
< SUPER-DUPER >
● base por Michiko & Adam edição, Snow.
● hacks por Anilyan & Mack.
© 2015 - 同級生; - all rights reserved.


A estranha eu.
1 de julho de 2015 | 4 comments
As vezes eu chego a conclusão de que sou estranha. Certo, todo mundo já deve ter chegado a mesma conclusão uma vez na sua vidinha maravilhosa e não é porque estou terminando a minha fase adolescente a que isso se deve, eu realmente sou estranha, não só aos meus olhos mas aos olhos dos outros também. E isso não é num sentido negativo, penso que esse meu jeito de ser é diferente e bom não só para mim mas a forma como convivo com os outros. Eu mudo o dia a dia oscilante das pessoas com quem convivo, seja pelos meus comentários "corretos" demais ou aqueles mais malucos onde mudo de foco com uma rapidez que deixa a luz de queixo caído, tudo o que faço muda um pouco o próximo e se não muda, tudo bem, um dia eu consigo esse feito. O que me importa é divertir com quem converso e me divertir também.

Eu mudei muito, desde que abri o meu primeiro blog. Esses dias andei relendo as postagens do Bubble Girl e quase tive um treco! Não só pelos meus erros de inglês horrendos como pelas postagens que eu costumava fazer, sinceramente, eu andava meio sem rumo. Não sei ao certo se isso foi bom ou ruim, mas ter que gerenciar um blogue me mudou bastante, não só pelo mundo à parte que conheci mas também pelas pessoas que conheci, cada amigo que venho, que foi, que ficou comigo até hoje, por mais longe que esteja é importante para mim, pois ele pode nem perceber mas conseguiu me mudar de alguma forma. Por mais que eu seja uma coisa estranha conversando no chat do facebook ou pelo what's, tenho problemas quando a conversa tá meio "fria" e eu não sei o que dizer /ah-haha/. Também aprendi e re-aprendi a escrever, descobri que tenho talento e gosto muito de inventar histórias. Sempre fui elogiada pelos meus poemas/textos-de-dez-páginas-que-ninguém-consegui-escrever-uma-folha-inteira e sempre que alguém comentava a respeito de uma oneshot minha eu ganhava o meu dia, gente comentários construtivos são ótimos, sabiam? Porém, diferente de algumas amigas minhas, eu sou a favor da fantasia e não da realidade, gosto de me permitir sonhar um pouco mais.

Desde o colegial até agora, em que só estou cursando o técnico em administração, eu percebi o quanto evolui. Quando saí do fundamental e tive que me desligar daquelas amigas grudentas que sabiam tudo de mim e ia para o desconhecido e temeroso colegial, as amizades que fiz por mim mesma e com orgulho podia dizer que eu que fiz aqueles amigos por mim mesma, os novos gostos musicais que conheci e que me acompanham até agora, o estilo de vida "otaku" que adquiri como meu a partir desses amigos, os hábitos estranhos que comecei a demonstrar. Querendo ou não o meu trio de nerd's quatro-olhos mudou meio mundo naquele colégio, a gente causava e, por mais tímida que eu fosse, acabava me soltando vez ou outra, ria alto ou comentava com uma alegria de assustar sobre algum mangá novo. Pior, começava a discutir sobre algum personagem com alguém. Era tudo muita graça e brincadeira. E naqueles três anos eu senti e percebi o quanto eu mudei, lá eu era normal, mas depois de entrar para o técnico acabei virando mais estranha que o "normal". Fosse pelo meu modo de agir, fosse pelo de falar, lá eu era muito diferente. Eu era estranha. Só que eu nunca me senti mal por isso, eu poderia ficar quieta no meu canto e até mesmo fiquei, por algum tempo, porém cansei de me esconder e, aos poucos mostrei que o meu jeito estranho de ser é, na verdade algo que me faz original perto deles.

A minha turma é bem mesclada com relação a idade, porém o meu grupo só tem menina da minha idade, isso porque nós tínhamos alguns defeitinhos que não agradavam os outros. Na ira do momento juntei a gente e formei um grupo, um grupo que me deixou preocupada por um tempo, um grupo que me fez chorar um pouco e que me fez chegar a pensar que a gente não daria certo. Mas hoje, no fim do segundo semestre e a caminho do terceiro e último, me faz crer que foi a melhor escolha que fiz naquele curso. Tenho um orgulho imenso das minha meninas, de dizer para os outros que eu fiz a garota mais calada da sala falar sem ler papelzinho e, por mais baixa que era sua voz, todos na sala a ouviram. De chegar e dizer que a gente se ajuda, se perde mas que sempre estamos ali, conversando, brincando. São elas que aturam meus comentários idiotas sobre o garoto loiro da turma de informática, são elas que criticam alguma ideia minha, que me elogiam pelos meus textos e que, também gostam de invejar minha cintura /ah-hahah/. E isso é só um pouco de tudo o que passei em quase um ano com elas.

Tudo isso e muito mais se passou e eu ainda me vejo como estranha. E poxa, ser estranha é o maior barato! Vai dizer que não é legal quando eu conheço alguém no ponto de ônibus e converso de forma tão natural com um completo estranho?! Eu não me importo com isso, normalmente fujo de gente mal encarada, meu sensor interno chamado SPAM está sempre me alertando disso. Pelo menos eu noto que não sou tão tímida assim, se bem que sou tímida só com crush mesmo, porque aí eu não consigo ser anormal, eu sou tímida mesmo. Pareço uma retardada mas tudo bem, garotas são assim /la-la-la/

Alguns pontos e contrapontos a mais ou a menos, não importa, ainda sou estranha. Ainda tenho mania de me achar a rainha de tudo e que todos devem me reverenciar; ainda gosto de cantar sobre o amor, não importa o quão rebaixada esta palavra esteja no nosso cotidiano; ainda perco o ar quando aquele guri bonito passa perto de mim; ainda sou a minha maior motivadora, porque se não sou eu, não é ninguém e, mesmo assim tenho os meus momentos de complicação, pois de ferro não sou; ainda gostaria de ter o destino em minhas mãos para assim fazer dos meus pensamentos realidade. E com tudo isso em mente, ainda sigo sorrindo e cantarolando, enquanto danço de forma ridícula, porque é legal ser assim sempre e esse é o caminho estranho que formei e seguirei moldando ele até o fim, we!

Certo, não era isso que havia planejado para hoje mas até que tá bom, lavar a louça me dá algumas ideias bem interessantes /keowqie/. Ai como é bom entrar em recesso de quinze dias, gente férias é um período ótimo para dormir e eu acordada até altas da madrugada lavando a louça /tapas/ mas é na madrugada que tenho as melhores ideias para escrever, vai me entender!!


See ya' another time!

Marcadores:


FUTURE
PAST