PORTA SOBRE ROMANCES COLEGAS follow

この目が光を失っても, ぼくは描いてみせる
Um clube de artes para o proveito de todos, onde muitas histórias planejam-se serem contadas. Fique à vontade, você não precisa ser bom com desenhos para se juntar a nós. { }

< october novel projects >
● { crônicas do céu series • soul eater 3/5 }
● { rotten to the core • soul eater }
● { strength • soul eater }
● { keep together • blood lad }
● { game over • blood lad }
● { broken • deadman wonderland }
Outros rascunhos se encontram em Qiklist!

< UNLUKIES BOX >
Um sentimento chamado "fuubutsushi"Clube suspenso. Whut?!{ oneshot } The universe.☆ Hi, signalize! ★100 perguntas sobre anime{ drabble } A reason to live.{ oneshot } Some different star.O retorno dos reis ♚A estranha eu.{ drabble } Not alone.
< SUPER-DUPER >
● base por Michiko & Adam edição, Snow.
● hacks por Anilyan & Mack.
© 2015 - 同級生; - all rights reserved.


Os mangás que 2016 me trouxe.
27 de dezembro de 2016 | 0 comments
Espero que todos tenham tido um bom natal, se alimentado bem e aproveitado esta data com pessoas queridas ♥ e por mais atrasada que a minha felicitação esteja saibam que ela vem do coração e ainda tá valendo pois os meus milagres de natal vão durar a semana toda, koe. E hoje trago algo que estava me consumindo por um bom tempo desde que regressei ao blog, fazer uma postagem dedicada aos mangás que comprei durante o ano! Então se preparem pois eu não me contive nas palavras.



Esse ano estava decidida a agitar um pouco a minha singela coleção arriscando com alguns títulos novos, mesmo sem conhecimento prévio, mas acabei encontrando alguns nomes conhecidos então já viu, a primeira ideia foi pro buraco. Enquanto isso mantinha outras séries mais longas, que no caso foi só REBORN! e seus 42 volumes mesmo. Segue abaixo uma breve explanação do estrago que me foi dado no bolso.

Ketekyo Hitman REBORN!
Tenho a impressão de que exagero um pouco quanto ao meu favoritismo por REBORN! as vezes penso que me foco muito em alguns títulos e acabo deixando outros de escanteio mas é que eu gosto muito dele, muito mesmo e não é pela imensa quantidade de bons e lindos, e quentes, e tra-la-lá personagens. Tenho um carinho especial por ele. Por mais que a forma como Amano aborde o conceito de máfia - vamos dizer que aqui os mafiosos italianos são bem mais gentis - seja bem leve e divertido e as vezes ela deixe a desejar em alguns pontos a premissa de Tsuna se tornar o décimo chefão dos Vongola sempre se faz presente, mostrando o quanto ele cresce com o passar dos arcos e deixa de ser o "bom em nada" pelo qual era reconhecido. O que me faz ser tão apegada a história talvez seja a importância que ela dá a família, não somente aquela na qual nascemos, mas também a que escolhemos. Talvez Amano tenha se aproveitado um pouco do conceito mafioso para colocar isso nas entrelinhas o que considero valido e bem feito.

Quanto as edições que comprei, que vão do volume 12 ao 18 (com desfalque no 16 que não pude comprar), elas abordam dois dos arcos mais intensos do mangá. Um deles sendo a Batalha dos Anéis contra a Varia, que na minha opinião é o primeiro embate sério pelo qual Tsuna e seus amigos passam. Sei bem que a treta contra Mukuro e a Kokuyo foi dureza mas nada nela se compara com a tensão que Xanxus e seus comparsas trazem consigo!, a iminente sede de sangue que o líder da Varia carrega consigo é quase tangível e como vilão ele se dá melhor que o Mukuro (ainda não consigo superar ele como coruja berrando para ter o corpo dele de volta!). Nele ocorre a disputa para decidir quem será o décimo Vongola, pois Xanxus não aceita um "não" como resposta e as revelações que esse arco traz são importantes para o andamento da história, acho que a partir dele os outros são só revelações também.
Já o outro, o da Batalha do Futuro que se passa literalmente no futuro, dez anos e meio para ser mais precisa (e eu perdi aquela capa lindona de 8059 future version!). Quando Tsuna, após ser atingido pela Bazuca Decênio - culpa do Lambo, é sempre culpa dele - se encontra em seu próprio caxão! Se não bastasse essa surpresa, o décimo em sucessão descobre que as coisas no futuro não são nada boas para sua família e amigos, tudo por culpa do ganancioso Byakuran - líder da Millifiore, uma outra família que entra em ascensão por conta dos anéis maré que são tão poderosos quanto os vongola - e sua vontade de querer dominar todas as realidades paralelas, o que deixa o arco um pouco confuso a meu ver (sempre que envolve viagem no tempo eu levo um tempo para entender) pela forma como essa ideia estranha se torna possível. É aí que aparece pela primeira vez o trinisette - que basicamente consiste na junção das chupetas dos arcobaleno, os anéis vongola e os anéis maré - e seu poder absurdo! O mais aqui vai por conta das versões mais velhas dos personagens e também pela reaparição de Irie Shoichi, um garotinho que por coincidência aparece no segundo volume de REBORN!, é lá que ele tem sua primeira experiência com a Bazuca Decênio e passa a ser um personagem decisivo para a vitória dos vongola no futuro.

Ah, e houveram dois bônus inesperados! Por algum motivo, em conjunto com as edições mensais passaram a vir os últimos volumes também, os que consegui são o 'final' do arco da herança, um dos meus favoritos e também por ter o Enma nele ♥ e a Maldição do Arco Íris que, além de fechar a série é um dos mais importantes e explicativos, já que ele dá uma resposta a algumas questões que até então eram um mistério, como a origem dos arcobalenos e a importância dos anéis vongola. Sem contar que nele praticamente todos os personagens ficam reunidos, até mesmo o Shoichi e o Spanner dão o ar da graça! Opa, e tem também Reborn em sua forma original!!

Gangsta.
Posso dizer que foi uma feliz coincidência esbarrar com esse título! Lembro que o comprei mais pela censura e capa do que qualquer outra coisa - a maioria dos que tenho não passa muito longe dos 12 e eu já tenho 19, vamos usar isso a meu favor - o deixei para ler ler por último e até que foi uma boa ideia, pois acabei relendo ele mais três vezes depois de notar que um dos personagens era deficiente auditivo, o que achei o máximo sem contar a personalidade carrancuda dele que acabou sendo um charme a mais. E depois de devorá-lo online fui entendo a realidade da história que se passa no distrito decadente de Ergastulum onde a máfia comanda, os policias são corruptos e os bordéis existem aos montes. Lá, pessoas convivem com seres mais evoluídos chamados de twilights, eles podem parecer pessoas comuns mas escondem sentidos muito mais apurados do que o de seres humanos comuns e, por conta disso eles são marcados pelo uso das dogtags para serem distinguidos dos outros.
Existe um grande preconceito por eles e muitos são a favor da dizimação total dos twilights o que gerou um grande conflito no passado e que nos dias de hoje se acalmou parcialmente, porém parece que a história esta por se repetir novamente e o distrito esta para mergulhar mais uma vez em caos. TAN-TAN-TAAAANNN~ essa é a premissa que Kohske criou para seu mangá e ela foi muito bem trabalhada, posso dizer que temos a dose certa de tensão e comodidade rotineira, tudo bem equilibrado só que com seu prazo de validade. De inicio são rosas, nos mostrando como é a vida dos habitantes de Ergastulum e do trio que compõem a Benriya - Worick Arcangelo, Nicolas Brown e Alex Benedetto - até que o caldo esquenta e você se pega querendo voltar aos primeiros capítulos onde tudo parecia ser mais divertido. Você consegue se apegar tanto aos personagens em um período de tempo tão curto que, quando eles se vão da aquele apertinho no peito (Doug eu te adoro pequeno grande homem ♥). Por isso cuidado ao lerem essa obra pois ela só tem 7 volumes contando que o último não foi completamente traduzido para quem lê online e atualmente encontra-se em hiatus. Espero que a Kohske consiga voltar o quanto antes a ativa pois a tensão que ela deixou não foi pequena e eu não tô preparada mentalmente para odiar o Worick.

Ah, e amem muito o Nico, porque ele brilha demais nessa bagaça!

Kekkai Sensen.
Eu tive um treco quando esbarrei com o segundo volume de Kekkai na banca! Isso porque eu havia acabado de rever o anime e fuxicar os raws e estava certa de que queria o segundo volume com ninguém menos do que Zapp Renfro na capa, então eu agradeço ao destino e ao universo por terem conspirado ao meu favor nesse momento! Porque depois do Leo, o Zapp é o meu queridinho ♥
Mas bem, Kekkai (ou Blood Blockade Battlefront, em um quase impronunciável inglês) é um mangá bem descontraído com muita pancadaria e monstrinhos andando livremente pelas ruas de uma Nova Iorque diferente. Em uma noite comum esta cidade passou a se chamar Hellsalem's Lot, que agora é encoberta por um nevoeiro que liga o mundo humano ao "outro mundo" que deixou de ser apenas uma existência fantasiosa (por isso os 'monstrinhos'), dizem que nela são possível milagres dos quais os humanos não são capazes de prover. E é em Hellsalem's que a sede da Libra, uma agencia secreta de super-humanos, age para manter equilíbrio entre essas duas realidades e, por algum motivo o destino quis que Leonardo Watch, um garoto medroso que por conta de um incidente recebeu os "Olhos dos Deuses", passasse a trabalhar para eles (nós passamos a conhecer esse novo mundo pelo ponto de vista dele). Assim como Gangsta, a temática dele foge um pouco do tradicional e os cenários são mais "americanizados" assim como o nome dos personagens e afins, mas não deixa de ser divertido pois a comédia é bem dosada! O único problema é encontrá-lo traduzido em inglês, pois até então só tem o primeiro volume e olhe lá (estou torcendo para a JBC trazer Only a Paper Moon e Back2Back junto com os 10 volumes da série!)

Chain Sumeragi kill joy expert.

Os filhos únicos.
Alguns títulos pequenos que eu só comprei o primeiro volume, por ter certeza que seria difícil manter, foram estes Fate/Stay Night, Pandora Hearts, Noragami e Boku no Hero Academia.

Fate eu comprei só porque o moço da banca me convenceu, depois uma boa conversa sobre Kill la Kill, mas não consegui me ater a ele, exceto pelo Archer que eu achei uma graça tentando impressionar a Rin com seus dotes que superam os de um Saber! PanHearts eu meio que me arrependi de comprar logo depois de chegar em casa, isso porque eu acabei com o pouco de dinheiro que tinha com ele, mas pelo que li a história parece ser bem intrigante, só que não serviu para me fisgar de jeito, talvez eu leia on-line um dia e faça um comentário mais construtivo. Noragami eu só queria ter o primeiro volume mesmo, até ganhei um marcador bonitinho do Yato, provavelmente comparei picado alguns volumes a mais (tipo aquele que conta mais sobre a Kofuku, porque ela é a minha waifu querida!) e eu adoraria poder manter Boku no Hero mas vai ser difícil, só posso dizer que fiquei feliz de poder ter o primeiro volume, ainda mais porque eu gostei muito do mangá! A temática de heróis pode ser meio batida batida mas depois de me encantar com Midoriya Izuku e adotá-lo como meu bebê é quase impossível deixar de acompanhar o crescimento dele que, numa sociedade onde ter poderes de berço é algo comum, acabou nascendo sem nenhum. Justo ele, aquele que admirava os feitos dos heróis com tanto afinco a ponto de anotar tudo sobre eles em pilhas de agendas acabou sendo um humano comum, mas tudo isso muda quando ele conhece seu grande ídolo, All Might. A partir desse dia Midoriya viu sua vida mudar completamente e se adaptar ao poder que lhe foi concedido parece ser mais complicado do que ele imagina.
Até então o mangá tem sido bem desenvolvido, só fico um pouco irritada com os vilões, que depois de tocarem o terror na turma do 1-A mais de uma vez, resolveram dar chá de sumiço e até agora nada! Espero surpresas deles, muitas surpresas. Os personagens são muito queridos e divertidos e estou bem feliz pela DR que Katsuki e Izuku vem tendo nos últimos capítulos, porque já era mais do que hora do King of Explodo-kills tomar vergonha na cara e aceitar melhor a posição que o seu velho saco de pancadas tomou ao seu lado - e as shippers vão ao delírio!!! Vamos dizer que parte do meu ano foi consumido em montes e mais montes de fanfics relacionadas aos shipps de Boku no Hero. É, pois é, as gringas tem talento e muitos bons plots!

Alguns nomes que não podem ficar de fora!
Outros nomes que eu não comprei (por no momento eles ainda não estarem disponíveis no Brasil) mas que li on-line e merecem atenção são Tonari no Kaibutsu-kun e Bungou Stray Dogs.

Kaibutsu-kun é lindo! Não consigo pensar em uma palavra melhor para descrevê-lo, além dele ser o 'astro' dessa versão que dei ao skin! É um daqueles shoujos que, para aqueles que não tem muita paciência o casal aparece logo nos primeiros capítulos e o beijo não demora muito a acontecer. Tá, mas e daí? Vocês podem se perguntar, e daí que a forma como Robico deu continuidade a rotina dos personagens fez total diferença. Amizades, relacionamentos, conflitos, o jeito como eles são tratados e ilustrados faz com que a história se aproxime mais da realidade. Desde a isolada Natsume que jura de pé junto que sua vida é melhor on-line do que na vida real e que encontra na Mizutani uma amiga que ela nunca imaginou que poderia ter, a Mizutani que se cobra de mais sendo uma das alunas mais aplicadas da escola, ou o Haru que apesar de ser um gênio por natureza é inocente demais para ver malícia nas pessoas e o Sasayan que parece ser o único "normal" do grupo com seu gosto por baseball (ele me lembra e muito o Takeshi!) e seu humor simplista. Até mesmo os personagens secundários que vão aparecendo ao decorrer da história tem suas cores próprias, é impossível odiar o Yamaken buscando atenção da Mizutani ou o Yuuzan que apesar de insuportável quando se trata de seu irmão mais novo muda completamente quando tem doces em vista, ele vira uma criança!
E por mais que todo o romance da história seja levado mais pela comédia, não deixa de ser adorável. Não é algo que gira entorno somente de Haru e Mizutani, mas também de triângulos amorosos envolvendo eles, de Natsume e sua paixonite pelo tio do Haru e até mesmo o Sasayan que acaba se apaixonando pela Natsume! Algo que me agradou muito foram as amizades que eram feitas no decorrer da história, como a do Yuuzan com o irmão mais novo da Mizutani que encontraram uma coisa em comum, o gosto por doces! E algo que considero importante são as lições que você acaba tirando dos próprios personagens em situações adversas, fosse num momento feliz ou triste. Uma coisa é certa, esse shoujo entrou para a minha seleta lista de queridinhos, logo ao lado de Hirunaka no Ryuusei!

Quanto a Bungou Stray Dogs, se você gosta de mistérios e encontrar formas para soluciona-los, bungou com certeza é uma boa aposta! Nele basicamente existem duas organizações que são compostas em sua maioria por pessoas com habilidades sobrenaturais, a Mafia do Porto e a Agencia de Detetives Armados que coexistem na cidade de Yokohama, ambos rivalizam em seus negócios mas raramente entram em confronto. Isso até a cabeça de Nakajima Atsushi, o mais novo membro da agencia estar a prêmio e ele começar a ser caçado pela mafia. Coloquei dessa forma porque a história começa com o Atsushi mas olhando por um todo, o foco dela sempre ronda em torno das duas organizações. E apesar do andamento da história nos primeiros volumes ser divertido, com casos e alguns embates contra a mafia, o ponto alto do mangá para mim se dá quando uma terceira organização de super-humanos aparece na jogada - a Guilda - é aí que você consegue sentir a tensão de que uma verdadeira batalha esta prestes a começar e mil e uma suposições vem a mente, no meu caso o que supus acabou acontecendo então me senti um grande gênio!
Mas a  maior tirada nesse mangá foram os personagens, que em sua maioria são baseados em autores japoneses e ocidentais! Foi o que mais me chamou a atenção, pois isso define em partes a personalidade deles - um bom exemplo é Osamu Dazai com as suas tentativas de suicídio - e também o nome de suas habilidades - como o Fitzgerald com 'O Grande Fitzgerald' que faz referência a uma das obras mais famosas do autor, O Grande Gatsby -, não sei se poderia chamar isso de original mas achei bastante inovadora a simples ideia de transformar autores reais em personagens de um mangá. Gostei muito do Kunikida num primeiro momento (the hot megane boy) e mais a frente do esquentadinho do Chuuya, porque ele é o fancy hat da bagaça, ninguém tem um chapéu mais cult que ele! Mas não nego que é quase impossível não prestar atenção em Osamu Dazai.

Dazai, muito melhor que Suicide Squad <3

E encerramos por aqui, até pensei em colocar Servamp na lista mas o único motivo que me fez gostar mesmo dele foi o Lily e, ahn, acho que não consegui sustentar meus argumentos muito além disso.

A principio a ideia era colocar imagens de todos os mangás que consegui mas, por algum motivo eu estava desgostosa demais com elas, ainda não sou boa com isso, então foi só uma mesmo. Espero que tenham gostado do que leram (e se leram algo), tentei fazer de uma forma atrativa para aqueles que não conhecem os títulos, certo porque se fosse para falar ia ser meio "ai eu achei incrível aquele personagem e teve aquele momento e..." bem, eu funciono melhor escrevendo minhas impressões mesmo, é parte do problema de não socializar muito, ando travada. E se eu conseguir arrastar alguém para os fandons vai ser melhor ainda! Principalmente REBORN! e Gangsta que eu considero pacas e penso que todos deveriam conhecer.

Ainda essa semana apareço com um direcionado aos animes, porque se eu colocasse tudo junto não ficaria legal e também porque eu quero fechar o ano com uma retrospectiva do que acompanhei.


See ya' another time!

Marcadores: ,


FUTURE
PAST